Os homens que não amavam as mulheres

Essa semana também assisti Os homens que não amavam as mulheres, produção sueca de 2009 baseada na obra de mesmo nome, do autor Stieg Larsson.

Num primeiro momento fiquei na dúvida se tinha gostado ou não, levando em consideração que já tinha lido o livro e que o filme faz algumas alterações significativas, sob o meu ponto de vista.

Minha principal decepção foi em relação à personagem Erika Berger. Enfim…

Depois de pensar e repensar o filme acabo gostando dele sim, embora em uma cena específica da personagem de Noomi Rapace, Lisbeth Salander, eu tenha avançado o dvd por não suportar assistir à cenas tão pesadas (e necessárias à história…)

Soberano

No ano passado foi lançado nos cinemas o filme que conta a história da conquista do hexacampeonato brasileiro pelo São Paulo. Conferi nos cinemas e, como boa são paulina que sou, comprei o meu DVD ainda na pré-venda, em dezembro. Um presente de natal de mim para mim mesma… rs

A edição de colecionador é a melhor pra se adquirir porque vem, além do filme, com um disco só de extras: tem depoimento do Richarlyson, de torcedores, dos diretores, do Nando Reis (que também é o responsável pelas duas músicas tema do filme) entre outras imagens de bastidores e de vestiários (muito legais por sinal).

Assisti o meu DVD na semana passada e agora vou levar pra casa pra assistir com a minha mãe e irmãos, são paulinos como eu. Soberano é assim: pra se assistir em família!

O Turista

Assisti O Turista no sábado passado, dia 22/01 e gostei bastante, embora estivesse com um pé atrás por causa das críticas. Infelizmente eu sou assim: me deixo influenciar pelas críticas favoráveis e também pelas desfavoráveis.  Eu gostei da história e até fiquei surpresa (principalmente com a magreza da Jolie! Que cintura é aquela, my Lord?). E o  Frank correndo em cima dos telhados era igualzinho ao Sparrow correndo pela floresta… alguém dê aulas de correria pro Depp por favor! hehe

E o final? Surpreendente! Dei muito palpite até conseguir acertar rs

Enrolados

No dia 24/01 fui ao cinema assistir a versão em 3D… Meu primeiro filme em 3D, por sinal, e fiquei igual criança, na sala, querendo comentar os efeitos mas sem ter com quem por que fui sozinha.

O desenho é show de bola, com um roteiro bem interessante. A única coisa que me desanimou, até mesmo antes de ir ao cinema, foi a dublagem do Luciano Huck mas depois que já estava lá dentro, com os óculos, abstraí e procurei prestar atenção somente aos personagens, mesmo que em alguns momento o Luciano saltasse na tela, para além do personagem que dublava….

Agora quero comprar o dvd e assistir legendado, pra ver como se saíram Mandy Moore e Zachary Levi… =)

Homem de Ferro 2

Fui ontem ao cinema com meu irmão e assistimos Homem de Ferro 2. Eu, por incrível que pareça, não assisti ao primeiro filme então fui meio que “boiando” mesmo, só pra ver no que dava.

E felizmente tive sorte, pois a trama não evoca em nada a primeira (já que não é uma continuação da história) e não deixa os alienados como eu no ar. Exceto por um ou dois momentos com o Mickey Rourke em que virei bem rápido pra perguntar pro mano se tinha alguma coisa a ver com o primeiro filme… rs

A ação é bem dosada com a comédia. Dá pra rir muito e ainda ficar com raiva do Tony Stark, e considero os efeitos ótimos.

Mas uma coisa não me sai da mente: os cabelos da Scarlet Johansson. Quero esses cabelos djá!!!!!

O livro de Eli/The book of Eli

Assisti ontem ao filme O Livro de Eli, com Denzel Whashington e Gary Oldman.

Sempre me surpreendo com a capacidade do Gary de se transmutar em diversos personagens porque eu nenhum momento eu me lembrei de Sirius Black ou do Comissário Gordon e isso não é mérito apenas da caracterização do filme.

Já falei aqui que sou muito ruim pra escrever críticas por isso, dessa vez, procurei um texto bem escrito sobre o filme pra compartilhar.

É do Marcelo Forlani para o site Omelete.com.br. Clica na câmera pra ler.

Como também li algumas pessoas não falando muito bem sobre o filme tentei achar alguma crítica negativa, mas bem escrita e não encontrei, pelo menos nas minhas parcas buscas googlísticas. O que vi mesmo foi muita gente que não gosta/não acredita na Bíblia criticar o filme baseando-se simplesmente nisso.

Se alguém tiver uma dica, deixa nos coments ok? 🙂

Filmes do mês: Star Trek 2009

Star Trek Poster

O filme deste post não vem dos cinemas mas sim do DVD.  Star Trek ou Jornada nas Estrelas, como é conhecido no Brasil, esteve em cartaz a partir de maio do ano passado, trazendo de volta pras telonas mais uma produção dessa franquia que é um sucesso de longa data.

Pra mim, que sou super fã de tudo que é relacionado à Jornada, foi uma emoção ver um filme realmente bom. E a cada personagem que ia surgindo na tela era uma exclamação ou uma risada, tanto pela surpresa de ver como certos atores se deram tão bem com seus personagens quanto pela alegria de ir descobrindo aos poucos como tudo começou.

Zachary Quinto, na pele de Spock, é pra mim aquele que mais evoca a emoção da Série Clássica e também da Nova Geração. Perfeito na caracterização, quase nos faz pensar que é, realmente, um Leonard Nimoy mais novo quem está ali. Ainda assim, durante todo o filme, tenho certeza de que Zachary também está lá.

Chris Pine chega a ser um caso a parte. Não conseguia imaginá-lo como o Capitão Kirk antes de assistir o filme mas agora já assimilei. Alguns de seus personagens anteriores como esse e esse não ajudavam muito, é certo, embora eu goste dos trabalhos dele. Que fique claro: nada contra comédias românticas, até porque adoro esse gênero de filme, mas talvez por grande parte dos atores direcionarem-se sempre pra um mesmo tipo de personagem é que atuações como a do Chris me surpreendam.

E então aparece Karl Urban com seu novo Magro.

Simon Pegg como Scotty.

Zoe Saldana e sua Uhura.

John Choo como Sulu.

Então, quando a gente pensa que só o Eric Bana (como Nero) pode melhorar tudo…

Aparece o Chekov (Anton Yelchin) e deixa tudo muito mais divertido!

Anton Yelchin Chekov Star Trek 2009

O garoto é realmente bom e promete. Só o sotaque já me fez rir demais! Uma dica? O final é TUDO. É emocionante, é excitante, é icônico e ainda deixa aquele gostinho de quero mais.

Eu quero muito mais, com certeza!